• Portugues
  • English
  • Spanish
  • French
Menu

Centro Histórico

SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DA GRAÇA:

A Igreja Matriz Nossa Senhora da Graça teve finalizada a sua construção oficialmente no ano de 1665 quando contribuiu para que a Vila fosse elevada à categoria de paróquia. Em estilo veneziano, para sua construção foi utilizada mão de obra escrava, e os materiais convencionais da época como – pedras e uma argamassa feita de areia, conchas e óleo de baleia. No corpo da Igreja, sob o assoalho eram enterradas as personalidades da cidade. É sabido que já em 1900, os enterros já não eram permitidos dentro da Igreja passando para o cemitério que existiu na entrada da Rua Marcilio Dias e, mais tarde, para o Cemitério Municipal no bairro do Acarai. A Igreja atual passou por várias reformas recebendo o relógio no início do século XX e teve sua segunda torre concluída no final da década de 1940. 

MERCADO MUNICIPAL

Inaugurado em 20 de janeiro de 1900, foi o principal centro de comercialização de produtos agrícolas e artesanais de São Francisco do Sul. Em 1928 foi anexada uma parte externa para abrigar um comércio de pescados com o nome “Peixaria” escrito em formato de peixes e em alto-relevo. Sua estrutura foi restaurada pelo programa Monumenta e hoje é sede de mercearias, peixarias, lojas de artesanatos e restaurantes. Neste local, em dias especiais, acontecem apresentações folclóricas, como boi de mão e a dança do vilão.

MUSEU NACIONAL DO MAR

Uma das principais atrações de São Francisco do Sul, o museu conta com uma área de 10.000m² e é o único museu de embarcações brasileiras, reunindo um acervo com centenas de peças oriundas de todo o país. São aproximadamente 15 salas temáticas, que além de exporem diversos tipos de embarcações, retratam bastante a vida do homem do mar, com seus costumes e tradições expressados por meio de vídeos e réplicas do cotidiano destes pescadores, caracterizados pelos dioramas (espécie de representação cênica em que podem ser observados o uso daquelas embarcações e o modo como os homens desempenhavam uma atividade), como por exemplo: a representação da caça à baleia. O Museu Nacional do Mar também conta com biblioteca, auditório e loja de souvenirs, além de oferecer diversos cursos para a comunidade local.

Funcionamento: de terça a sexta-feira das 9h às 17h30 e sábados, domingos e feriados das 10h às 17h30.

Fone: +55 47 3481-2155

Site: www.fcc.sc.gov.br/museudomar

Ingresso: R$ 5,00 / R$2,00 meia-entrada /menores de 7 anos e maiores de 60 anos, entrada franca.

MUSEU HISTÓRICO

O prédio onde se localiza o museu já foi conhecido como o “Palácio da Praia do Motta”. Sua construção foi iniciada no final do século XIX e concluída em 1914. Foi utilizado como câmara e cadeia pública. O Museu Histórico foi restaurado e reinaugurado em 13 de dezembro de 1985. Como Cadeia Pública, abrigou presos como os líderes revolucionários, por ocasião da Guerra do Contestado. As características da construção foram mantidas, inclusive as celas, as grades e as janelas de ferro. O acervo é constituído de peças que contam a história da cidade: desde simples utensílios até documentos. Tem o intuito de ilustrar e preservar a história da ilha e manter viva a cultura local.

Funcionamento: de terça a sexta-feira das 8h às 18h. Sábados, domingos e feriados das 11h às 18h.

Fone: (47) 3444-5443

Ingresso: R$3,00 adulto | R$2,00 estudantes e crianças de 12 à 16 anos | Gratuito para: crianças de até 12 anos, idosos à partir de 65 anos.

MUSEU DIOCESANO DE ARTE SACRA PADRE ANTÔNIO DE NÓBREGA

O museu está localizado na parte anexa à Igreja Matriz Nossa Senhora da Graça e, atualmente, seu acervo conta com 800 peças. É voltado à preservação, pesquisa e exposição de objetos relacionados à arte sacra. Após algumas exposições limitadas à visitação, o museu sofreu uma reforma para ser aberto ao público, sendo inaugurado em 10 de maio de 2013.

Funcionamento: de terça-feira a sexta-feira das 9h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 10h às 16h.

Fone: (47) 3444-5093

Ingresso: R$ 3,00 adulto | meia-entrada R$ 1,50 

PARQUE ECOLÓGICO MUNICIPAL CELSO AMORIM SALAZAR PESSOA

O parque possui uma área de 16 mil m² de área histórica (equivalente a dois campos de futebol), preservada e de lazer, 500 metros de caminhada acessível, três locais para contemplar paisagens de São Francisco do Sul, uma sede de apoio aos visitantes e ao setor administrativo. Os visitantes podem contemplar a bela vista em meio às árvores e demais vegetações. O local é ideal para a contemplação em harmonia com a natureza. A trilha do parque possui 430 metros de extensão com largura de 1,5 m. Além da paisagem, os visitantes poderão, no final do percurso, observar os resquícios da capela São José, construída no século XVII.

Funcionamento – Segunda-feira a domingo das 9 horas às 17 horas.

Horário de Verão – das 9 horas às 19 horas de segunda a sexta-feira e das 10 horas às 19 horas finais de semana e feriados.

Entrada Gratuita.

BAÍA BABITONGA

Está situada na foz do Rio Palmital, entre São Francisco do Sul e Joinville A baía Babitonga já era habitada há mais de 3.000 anos por caçadores e coletores sambaquianos, os homens do sambaqui. É a maior baía navegável de Santa Catarina, composta por 24 ilhas em sua extensão. Possui um potencial náutico imensurável, já que além das belas paisagens e da rica fauna e flora, suas águas abrigam as embarcações de ventos fortes e tempestades. Na alta temporada, diariamente passeios de barco partem do trapiche central do Centro Histórico com destino à suas ilhas. No caminho ainda é possível avistar golfinhos que animam os grupos que são presenteados com suas aparições. Muitos estudiosos se dirigem até este espaço para estudar sua fauna que, além de serem compostas por diversos animais, muitos deles estão sujeitos à extinção, como é o caso dos golfinhos conhecidos como Toninha, além do boto cinza, os meros e os caranguejos-uçá.

MORRO DO PÃO-DE-AÇÚCAR

Também conhecido como Morro da Cruz, é o ponto mais alto da cidade com 150m de altura. A história conta que antes de voltar para a França, o Capitão Binot Palmier de Gonneville ergueu uma cruz no alto de uma colina com o auxílio dos índios carijós para celebrar a Páscoa de 1504. No ano de 1947 quando a cidade de São Francisco do Sul completou 100 anos, uma réplica desta cruz em concreto foi instalada neste morro. Essa formação geográfica, juntamente com o Morro da Palha, Morro Agudo, Pedra Grande e demais rochas de São Francisco do Sul, tornam esta cidade um dos locais mais favoráveis para a prática de escalada no sul do Brasil. Atualmente uma trilha leva ao topo do morro de onde se tem uma vista única da cidade.

 

Carregando...